Últimos assuntos
» 1° Episódio: O retorno de Diamond e Swift!
por Monstro Hoje à(s) 12:10 am

» Tokyo Sexwale
por Okura Ter Fev 20, 2018 4:40 pm

» CRIAÇÃO DE PECULIARIDADES
por O Emperador Dom Fev 18, 2018 1:19 pm

» Feline Fury
por O Emperador Dom Fev 18, 2018 1:19 pm

» God’s Vision
por O Emperador Dom Fev 18, 2018 1:02 pm

» A Grande Mudança
por Shino7 Qua Fev 14, 2018 1:45 pm

» [FP] Yakuzo Shimada
por Yakuzo Shimada Ter Fev 13, 2018 10:06 pm

» REGISTRO DE FACECLAIM
por Yakuzo Shimada Ter Fev 13, 2018 9:43 pm

» Com grandes poderes vem grandes oportunidades!
por Yamazaki Raizo Sab Fev 10, 2018 2:02 am

» Apparition
por O Amaldiçoado Sab Fev 10, 2018 1:48 am

» The Line Bender
por O Amaldiçoado Sab Fev 10, 2018 1:48 am

» Know Why the Nightingale Sings?
por Bijin Seg Fev 05, 2018 12:09 pm

» SOLICITAÇÃO DE NARRADOR
por Bluesday Dom Fev 04, 2018 11:38 pm

» [PEDIDO DE MISSÃO] - Howker's
por O Mestre Dom Fev 04, 2018 7:59 pm

» [PEDIDO DE MISSÃO] - Howker
por O Emperador Dom Fev 04, 2018 2:39 pm

» [FP] Raegar Howker
por O Emperador Dom Fev 04, 2018 2:34 pm

» [FP] Raegar Howker
por O Emperador Dom Fev 04, 2018 2:34 pm

» [FP] - Nico Howker
por O Emperador Dom Fev 04, 2018 2:33 pm

» I - Two and a Half Women
por Ceji Sab Fev 03, 2018 3:35 pm

» Luz, Câmera e Ação.
por Wa_Shiranai Seg Jan 29, 2018 4:09 pm

Nombre apellido
Mejor héroe
Nombre apellido
Mejor Villano
Nombre apellido
PJ más activo
Parceiros

Élite 2/40

To the beginning

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

To the beginning

Mensagem por O Mestre em Qui Out 26, 2017 7:16 pm

MISSÃO
Civil: Jiyuu Yukei

bazinga!

_________________

"É inverno no inferno e nevam brasas
Por favor, escondam-se todos em suas casas
Pois o anjo caído voa com novas asas"
avatar
Supremos
Mensagens :
273
Data de inscrição :
18/09/2017

O Mestre
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: To the beginning

Mensagem por Dellinger em Qui Out 26, 2017 10:52 pm

~ Motivação ~

       Acordar sempre foi algo estranho para mim. Sempre que minha consciência é recobrada, me imagino acorrentado, com ferimentos ardendo e alguns remendos sobre eles, minha barriga roncando e a sensação desagradável nas minhas costas por estar deitado na palha. Porém logo isso tudo vai embora - pelo menos as sensações, mas toda a dor e sofrimento ainda permanece em minha psique. Existe um termo muito interessante na medicina que eu gosto de utilizar para descrever isso chamado de “phantom pain”, expressão que ao ser traduzida ficaria “membro fantasma”. Quando uma pessoa perde um membro do corpo, seja um braço, perna ou qualquer outra parte, por mais mínima que seja, ela ainda sente como se ele estivesse ali. As vezes é a noção de que ele está ali, a sensação de toque ou até mesmo uma pequena dor. É o que eu sinto todas as manhãs ao acordar, eu sinto uma sensação de algo que já me aconteceu faz um bom tempo, mesmo que a situação que eu esteja agora é totalmente diferente do que já foi. Pode-se dizer que isso é minha “dor fantasma”, que eu carregarei daqui para frente, sabe-se lá até quando.  
       A sensação do conforto da minha cama e lençol logo toma conta, ao mesmo tempo que o desconforto de antes vai sumindo aos poucos, como se fosse uma eventual coceira. Movo meu corpo lentamente, percebendo que eu não estava mais acorrentado, e com nenhum ferimento ou atadura pelo meu corpo, como habitual. Meus pés tocam o chão gelado de madeira, e com apenas um impulso, levantaria. Me dirigiria até a janela e abriria as cortinas, para ver o que o clima aprontaria para hoje. Feito isso, arrumaria minha cama, dobrando os lençóis e ajeitando o travesseiro simetricamente sobre o colchão, o fazendo como ato de disciplina. Iria até o banheiro e lavaria o rosto, se atentando as “remelas” que se formaram no cantos dos olhos durante o sono, logo após escovando os dentes. Não haveria necessidade de tomar banho, já que eu já o havia feito ontem à noite, não estando fedendo e meu cabelo não estava bagunçado.

           Na cozinha, esquentaria água na chaleira, enquanto prepararia um sanduíche com tomates, alface e ovo cozido que estavam na geladeira. Com a água quente, adicionaria café em pó e a mesma água na xícara, deixando o café sem açúcar, como eu gosto. Comeria o sanduíche e degustaria o café calmamente, até ter acabado com tudo. Após isso, ficaria olhando para a xícara de café, enquanto ficaria brincando com minha peculiaridade - Untouchable Trespasser.
            Ela consiste na habilidade de fazer uma parte do meu corpo ficar intangível, ou seja, tornar um membro do meu corpo passar entre as coisas como se eu fosse um fantasma (mesmo meu poder não consistindo em uma forma fantasmagórica), ficando invulnerável a ataques de todos os tipos. O problema é que eu tenho pouco controle sobre ela, apenas conseguindo fazer isso com um membro - isso me concentrando devidamente. O motivo pela qual eu tenho esse controle é por que apenas ano passado eu decidi parar de tentar esquecer meu passado e começar a treinar minha habilidade. Sei que minha peculiaridade é capaz de ser usada por todo o meu corpo, por que uma vez eu consegui estendê-la além do meu braço até meu ombro - tenho convicção que poderei estender esse poder por todo o meu corpo.

            Com certa concentração, faria meus dedos da minha mão direita ficarem intangíveis, os “colocando” para dentro da xícara, fazendo-os atravessar e mudaria progressivamente a extensão do meu poder nos meus dedos a medida que vou os afundando mais para dentro da xícara, enquanto eu conto quanto tempo eu consigo permanecer nesse estado. Me sentindo perdendo a concentração depois de certo tempo, retiraria os dedos e os voltaria para a forma normal. Entendo que não posso depender desse poder para lutar por enquanto, por toda a dificuldade em me concentrar e pelo pouco controle no meu corpo. Por isso aposto nas minhas habilidades de luta corpo-a-corpo e em estratégias de combate, e devo continuar a aperfeiçoá-las junto com meu super-poder. É um caminho longo, mas devo passar por isso para me concretizar como um herói.

    Lavando a xícara, saio do meu apartamento - que não é muito espaçoso, mas é possível viver confortavelmente ali - situado em uma área residencial de classe média de Tokyo. Moro sozinho, já que meus pais adotivos estão em viagem no exterior. Passo meus dias estudando sobre novos assuntos, já que estou de férias das aulas da escola, por ter passado para o 1º ano do Ensino Médio. Fico também me exercitando e às vezes saio para caminhar como estou fazendo agora - independente se está chovendo ou não - para manter o condicionamento físico e não ficar para trás durante a prova da Yuuei - que a propósito, a data para tal está perto. Andaria até o centro da cidade, para que eu não me entediasse por conta da caminhada, vendo as vitrines de lojas e observando as pequenas áreas arborizadas pelos locais. Se eu acabasse por ventura explorando um lugar inédito, tentaria decorar o trajeto para que não viesse a me perder ao voltar.

 -----------------------------

Objetivos:


* Desenvolver meu personagem por situações diversas, seja lutando com alguém que esteja perturbando a paz alheia ou conversando com pessoas da cidade (Eu não me importo de passar boa parte da aventura apenas com enredo)
* Ter oportunidades de desenvolver minha peculiaridade.

OFF:
Esse é o meu primeiro post nesse RPG in-game. Espero me divertir bastante durante essa aventura! E narrador, se quiser me fuder, me beija - ou me convide para jantar antes.

Ah, e meu idioma é o japonês. Minha origem é na Romênia, mas como eu era escravo desde cedo, só sabia algumas palavras no idioma, nunca sabendo de fato falar na língua do país.
avatar
Civil
Mensagens :
15
Data de inscrição :
25/10/2017

Dellinger
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: To the beginning

Mensagem por dragonmbr em Sex Out 27, 2017 10:10 am




Jiyuu havia acabado de acordar, as lembranças de seus passado ainda o atormentava e dificilmente iria conseguir se livrar delas algum dia,  ao se levantar decidiu abrir a s cortinas da janela, fazendo com que os raios de sol entrassem em seu quarto. Demorou um pouco para que seus olhos se acostumassem com a luz, mas assim que se acostumou viu que estava um dia agradável, não estava muito sol e parecia estar ventando bem com o balançar das arvores. Sem intenção Jiyuu acabou lendo os lábios de uma menina que estava conversando com outra, “ontem eu engravidei pela bunda” . Ele poderia jurar ter visto a menina falar, ou foi só ele que se confundiu?

Após preparar o café da manha  Jiyuu decidiu treinar sua peculiaridade. Se concentrando em seu dedo após um minuto ele ficou intangível, com o mesmo dedo ele passou pela xicara e após algum tempo passou o restante do braço. Ainda com a xicara em mãos  Jiyuu decidiu explorar a cidade. Na saída de seu apartamento Jiyuu encontrou sua vizinha tirando o lixo para fora, ao ver ele era sorriu e falou -Bom dia Jiyuu-.

Como sempre em Tóquio existia um grande numero de pessoas na rua. Jiyuu era capaz de ouvir varias conversas e ver também(leitura labial) mesmo  não querendo, e como o mesmo não tinha grande domínio no japonês não podia evitar de ouvir algumas palavras que não sabia o significado e também de trocar o significado de algumas palavras. No passeio viu restaurantes, lojas e outras coisas, algumas das pessoas que passava por ele tinha uma aparência bem peculiar Jiyuu também foi capaz de notar alguns policiais. Ver um jovem carregando uma xicare de café chamo atenção de varias pessoas, mas não fizeram nada que incomodasse Jiyuu.

havia muito movimento na rua Jiyuu decidiu pegar um atalho por um beco.  O beco era mal iluminado, talvez por isso não havia movimento de pessoas por ele. -Socorro!- Jiyuu ouviu uma voz abafada, se aproximando mais, Jiyuu dois homens agarrando uma jovem mulher contra a parede, a boca da mulher estava tampada por um dos homens e a roupa da mesma parecia um pouco rasgada.  O homem que não estava segurando a mulher olhou para Jiyuu e falou -Se não quiser morrer vaza daqui frutinha!!- Demorou um pouco para Jiyuu entender do que o homem o havia chamado, mas no fim entendeu, talvez ele tenha chamado de frutinha por estar segurando uma xicara de café e andando pela cidade, isso não era nada comum. A jovem mulher olhava para ele com os olhos cheios de lagrimas, os olhos da mesma estavam implorando por ajuda. O que Jiyuu iria fazer? Ignorar? Lutar contra os “vilões” ? ou tentar chamar os policiais que havia visto a pouco?

Considerações e Dicas:
Bem, tu não nasceu no japão então não é sua lingua mãe, em nem um lugar da sua historia tu falou que aprendeu a falar japones pelo contrario tu falou que tinha dificuldade... e tu não tem a pericia... então vou te trollar com isso.... bem fiz o post então maus qualquer coisa....  


Histórico:
Nome do Player: Dellinger
Nº de Posts: 1

Ganhos:

Perdas:

NPCs:

Status: bem alimentado +1 em resistência (1/5)

Extras: Em um beco escuro de Tóquio.
avatar
Narrador
Mensagens :
66
Data de inscrição :
23/10/2017

dragonmbr
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: To the beginning

Mensagem por Dellinger em Sex Out 27, 2017 9:20 pm

~ Confronto ~

    Ao colocar os pés para fora do meu apartamento, pude confirmar que o dia estava tão lindo quanto parecia dentro de casa, com uma leve brisa movendo a minha franja para o lado. Puxo a franja para trás, como um gesto para contemplar a brisa, ajustando os óculos para o topo do nariz com o dedo indicador. Logo perto da saída, vejo minha vizinha me dando um “bom dia”, na qual eu respondo, me esforçando para superar o pouco de timidez: -Bom dia.
    Resolvi levar minha xícara junto, já que é uma boa ideia caminhar por aí e ir treinando sutilmente minha peculiaridade enquanto presto atenção em outras coisas, algo que exige muita concentração - sendo que o procedimento era o mesmo que em casa, se diferindo por eu esperar um pouco ao perder a concentração e voltaria a usar novamente meu poder.
     O fato de haver muitas pessoas andando pelas ruas da cidade - afinal, estou em Tokyo - dificultava bastante a concentração, por estar esquivando de pessoas que passavam perto, mas é isso que fará meu treinamento dar resultados - já que em uma luta, não posso perder minha concentração com qualquer ameaça de ataque.
      Por conhecer um atalho até o centro da cidade, decido passar por ele, o que daria em um beco escuro. Ele não tinha nada especial, além de sacolas de lixo jogadas em qualquer canto - que talvez tivesse algum gato xeretando em alguma delas. Em um dos intervalos para descansar, ouvi um grito. - Socorro! - uma voz feminina em prantos chegou aos meus ouvidos. Parecia ter vindo mais afundo do beco. Resolvi me aproximar do que parecia ser o local da onde o grito foi efetuado, para ver a cena de dois homens abusando de uma mulher. Não parecia que o “ato” havia sido concretizado ainda, porém, as roupas da mulher pareciam rasgadas e sua boca estava sendo tapada pela mão de um dos homens. O que não estava a segurando, notou minha presença e olhou para mim, me ameaçando: -Se não quiser morrer vaza daqui frutinha! - Sutilmente escondo a xícara atrás da minha perna, aproveitando da escuridão do local.
        -O que vocês pensam que estão fazendo?! - Falo com uma voz ríspida e fechando o punho que não estivesse segurando a xícara - falo isso já sabendo que claramente não receberei uma resposta racional para aquilo. Provavelmente receberia uma resposta revoltante e/ou com um xingamento. -Quem sabe vocês não lidam com alguém que saiba revidar? Ou estão com medo de um “frutinha”? - Dou um sorriso provocante, tirando onda com eles. Provocá-los é minha estratégia. Desconheço suas peculiaridades, então uma dose de má sorte seria minha derrota certa aqui. Mas como meu objetivo é poder fazer com que a mulher possa fugir, não me importo em apanhar até que ela chame as autoridades para cá. Basta eu segurá-los até lá, mesmo eu não estando muito confiante disso.

          Supondo que o primeiro movimento de quem viesse para cima de mim fosse vir para cima correndo, quando ele estivesse perto o suficiente - esquivando para os lados para evitar golpes diretos ou possíveis projéteis - e, tentaria quebrar a xícara em seu rosto, mesmo com o risco dos fragmentos machucarem a minha mão - pouco importa nessa situação, a minha única preocupação seria que essa caneca me custou 500 ienes. Não esperaria que causasse algum dano significativo, mas servindo de distração já estaria ótimo, já que eu o estaria esperando com um soco forte no queixo. Se ele ficasse um pouco atordoado, não perderia tempo e correria até o cara que estaria segurando a mulher. Me concentraria o máximo que eu conseguisse e faria meu braço direito ficar intangível, o que demoraria um pouco, mas eu já teria um plano para um uso até que chegasse a hora. -Deixe-a ir! - Tentaria desferir um chute nas costelas do meliante, tirando a moça das garras dele. Caso eu sucedesse, diria rapidamente à ela: -Chame alguém! Eu vi um policial no caminho para cá! Vá rápido, eu vou segurá-los! - A diria a localização onde eu o vi. Voltaria minha atenção para os dois, esperando que eles fossem atrás da garota.
        Eles não sabem sobre o meu poder, essa pode ser minha chance para a vitória. Devo administrar bem o uso dele, já que o tempo de concentração até que um membro todo fique intangível. Caso alguém tentasse ir atrás dela, jogaria meu corpo contra o que mais estivesse próximo, dando uma “ombrada”, esperando que isso o empurrasse ou o derrubasse. A partir disso, ficaria na defensiva, evitando possíveis projéteis de suas individualidades ou golpes normais ou destas, tentando esquivar, ou na pior das hipóteses - bloqueando com meu braço não-intangível. -Então, vamos começar? - Faria uma posição defensiva, tentando os segurar ali. Se eu viesse a achar uma oportunidade para correr deles, eu correria com toda a velocidade para o local onde eu havia achado o policial, para me encontrar com a mulher e verificar se ela está bem.

--------------

Spoiler:
Cara, não sei por que, mas parece que você entendeu "lavando a xícara" com "levando" heuaheuaehea
       Mas sem problemas, criei uma desculpa e vamos seguir assim mesmo. Tente não me ferrar tanto nessa luta -q


Última edição por Dellinger em Dom Out 29, 2017 7:27 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Civil
Mensagens :
15
Data de inscrição :
25/10/2017

Dellinger
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: To the beginning

Mensagem por dragonmbr em Sab Out 28, 2017 10:13 pm



Ao se deparar com tal sena Jiyuu perguntou -O que vocês pensam que estão fazendo?! - O que eles estavam fazendo eram obvio, mas mesmo assim parecia que jiyuu queria uma confirmação. O ladrão que não estava segurando a garota apenas falou -TU É CEGO? Não vé que estamos cuidando de negócios? o pai dela nos deve dinheiro, só estamos cobrando. agora vaza daqui garoto. - Indignado com tal sena Jiyuu falou - Quem sabe vocês não lidam com alguém que saiba revidar? Ou estão com medo de um “frutinha”? -, no momento que disse isso o homem que estava segurando a garota deu risada e falou -Aposto que essa garota luta melhor que você, garoto- as marcas de arranhões no rosto do homem faziam suas palavras terem peso.

Vendo que o Jiyuu não mostrava sinais de que iria sair dali o homem que não estava segurando a garota resolveu atacar, ele avançou em linha reta em direção ao Jiyuu tentando acertar um soco em seu rosto, Jiyuu conseguiu escapar por pouco indo para a direita, o soco pego na parede que estava atrás de Jiyuu tirando um pequeno pedaço da mesma. Como havia conseguido escapar do golpe Jiyuu decidiu contra-atacar, deu uma xicarada de café no rosto do oponente(quase igual a dona Florinda). -Seu maldito isso queima!!- O atacante falo assim que sentiu o calor do café tocar sua pele. Infelizmente para Jiyuu o Atacante conseguiu desviar do gancho dele. Como resultado da esquiva o atacante caiu para trás de bunda dando a oportunidade perfeita para Jiyuu correr para o homem que estava segurando a moça enquanto tentava se concentrar para transformar seu braço intangível.

-Deixe-a ir! - Jiyuu disse enquanto estava dando uma voadora em direção ao homem que segurava a donzela. Infelizmente não teve a felicidade de acertar o alvo, já que o homem não era burro e soltou a mulher para desviar. -Chame alguém! Eu vi um policial no caminho para cá! Vá rápido, eu vou segurá-los! - Jiyuu disse para a garota , assim que viu que ela estava livre. Sem pensar duas vezes a garota correu desesperada na direção que Jiyuu havia indicado ter um policial.

-Então, vamos começar? - Jiyuu disse para os homens que haviam ficado ali. Ambos estavam com um olhar assassino em direção a Jiyuu, a mão do homem que havia segurado a garota agora estavam afiadas, de forma semelhante a uma lança. Infelizmente para os homens assim que viu uma oportunidade de escapar Jiyuu saiu correndo os deixando para trás. -Deixe-o ir, nos sabemos onde encontrar a garota depois - O homem com mãos de estaca falou. -Isso vai ter volta garoto -. Essas foram as ultimas palavras que Jiyuu conseguiu ouvir enquanto se afastava.


Não demorou muito para que Jiyuu se encontrasse com a garota novamente ela estava conversando com o policial. Quando ela o viu um sorriso se formo em seu rosto -Foi ele seu policial, que me salvo!!- O policial deu um sorriso e olhou de cima a baixo Jiyuu vendo se ele tinha alguma ferida. -Bom trabalho garoto! Agora por favor fique aqui com a garota enquanto eu vejo se eles ainda estão no beco- sem dar chances para que Jiyuu respondesse o policial foi correndo em direção ao beco enquanto pedia reforços pelo radio.

-Muito obrigada por ter me salvado- A garota falava alegremente tentando tocar nas mãos de seu salvador. Mas para o espanto dela sua mão passou pela mão de Jiyuu -Kyaaaaa! - a garota gritaria em susto. Jiyuu poderia conversar um pouco com ela, mas logo ela se lembraria de seu pai e falaria -É mesmo, meu pai pode estar correndo perigo, tenho que ir!- Feito isso sairia correndo. Se Jiyuu seguisse a garrota ele iria encontrar uma barraca de comida caindo aos pedaços, mas se ele fosse seguir ela ou não seria escolha unicamente dele. O que ele faria?
Garota:
Cuidado se for transar com ela,
use proteção.....

Considerações e Dicas:
Fiquei sabendo que voce tinha uma estrategia legal para o próximo post de luta... que pena.. Bem não vou focar muito em lutas... isso só foi uma introdução <3


Histórico:
Nome do Player: Dellinger
Nº de Posts: 2

Ganhos:

Perdas:

NPCs:

Status: bem alimentado +1 em resistência (2/5)

Extras: uma rua movimentada de Toquio
avatar
Narrador
Mensagens :
66
Data de inscrição :
23/10/2017

dragonmbr
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: To the beginning

Mensagem por Dellinger em Dom Out 29, 2017 11:19 pm

~Analisando a situação~
De alguma forma tudo acabou dando certo. A garota estava a salvo e nenhum sinal daqueles caras. Mas devo dizer, a garota consegue ser durona, pelos arranhões no rosto do homem. Segundo ele, o pai dela o deve uma certa quantia de dinheiro, o que me faz pensar no que essa família se meteu - e que não estava em segurança, nem o pai e nem a filha, até que esses caras fossem presos.

O policial, analisava meu corpo - e indo contrário das minhas expectativas - ele acabou me elogiando: -Bom trabalho, garoto! Agora por favor fique aqui com a garota enquanto eu vejo se eles ainda estão no beco. - Sério, achava que eu levaria um sermão do policial. Fico corado por um momento, passando a mão no meu cabelo atrás de minha cabeça, não sabendo para onde olhar. -Obrigado. - Falo de forma quase inaudível. O vejo correndo em direção ao beco, após o aviso dele que ele iria até lá. Falo bem alto, esperando que ele ouça: - Cuidado, eles possuem peculiaridades, acredito que seja melhor chamar um herói!
A garota me agradece - e como um gesto de agradecimento - tenta segurar minha mão, mas não sucede por conta da minha mão estar sob efeito da minha peculiaridade. -Perdão. Eu andei pensando e… - Antes que eu pudesse concluir minha frase, ela diz: -É mesmo, meu pai pode estar correndo perigo, tenho que ir! - Ela saiu em disparada multidão a dentro. Começo a correr, a seguindo. Caso eu chegasse perto dela ou ela parasse, a questionaria -Ei, espere! Qual o seu nome? Me conte o que aconteceu, eu preciso entender para poder te ajudar! Como as coisas andam indo, eu acho que até mesmo você possa estar em perigo! - Tentaria recuperar um pouco o fôlego e prestaria atenção aos redores, verificando se não haveriam pessoas suspeitas ou perseguidores. Caso ela recusasse ajuda ou a dar explicações, eu a confortaria: -Pelo menos deixe-me ficar por perto para pelo menos prestar auxílio e garantir que nada aconteça à você.

Se ela pedisse minha opinião do que fazer, a diria: -O melhor seria garantir a sua segurança junto a de seu pai e ir até uma delegacia, buscar ajuda. Não sei se estou errado, mas creio que se essa fosse a solução, não estaríamos tendo essa conversa agora, não? - Daria uma pausa na fala. -Se não pudermos contar com a polícia, acho que a solução seria lidar com as pessoas que querem te causar mal. Por isso peço sua cooperação para me explicar a situação. À quem seu pai está devendo ou quem está te ameaçando? - Esperaria uma resposta da garota e a ouviria. Manteria minha guarda, ainda com meu braço intangível desde aquela hora.

Caso alguém suspeito se aproximasse de forma abrupta, perguntaria: -Quem é você? - E caso essa pessoa insistisse na garota ou em lutar comigo, diria para a garota, chamando-a pelo nome: -Se não puder lutar, se esconda, vou lidar com esse cara. - Esperaria a primeira ação do meu oponente e tentaria desviar como pudesse, sendo me abaixando, indo para os lados ou bloquear com o braço não-intangível, para assim planejar um contra-ataque.

avatar
Civil
Mensagens :
15
Data de inscrição :
25/10/2017

Dellinger
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: To the beginning

Mensagem por dragonmbr em Qua Nov 01, 2017 9:11 am



Jiyuu fico corado ao receber um elogio do policial, no fundo ele pensou que seria reprendido, mas não havia motivo de reprender um ato tão nobre. Ele arriscou sua vida para salvar outra vida. O policial vendo que ele não estava machucado ficou aliviado enquanto entrava no beco. O policial também não mostrou muita preocupação quando as peculiaridade do oponente. Se estivessem em maior numero provavelmente isso seria facilmente resolvido.

Jiyuu não teve muito tempo para conversar com a garota pois a mesma logo começou a correr preocupada com o pai, Jiyuu a seguiu  logo atrás fazendo perguntas. -Ei, espere! Qual o seu nome? Me conte o que aconteceu, eu preciso entender para poder te ajudar! Como as coisas andam indo, eu acho que até mesmo você possa estar em perigo! - A garota não diminuiu o ritmo para responder, continuou correndo enquanto falava com dificuldade devido a falta de folego. -Me chamo Mary.... Meu pai sofreu um acidente de trabalho... Não tinha condições de continuar trabalhando nas minas... Teve que pedir o dinheiro emprestado..... Os negócios não estão indo bem .... E estão querendo o dinheiro  de volta... Mas não temos dinheiro...-.


Felizmente enquanto corria atrás da garota, Jiyuu não notou ninguém o seguindo.  Não demorou muito para que chegasse em uma barraca de comida caindo aos pedaços, existia uma placa, escrito fechado na porta, mas a menina não ligou e entrou com Jiyuu segundo logo atrás. La dentro havia varias mesas reviradas, ela claro que uma luta havia acontecido aqui. Em um canto amarrado em cadeiras havia dois homens amarrados, em seus corpos havia sinais de tortura evidente. Seu torturador era um homem grande e musculoso. sua boca havia uma cicatriz feia  e seu corpo era cheio de outras cicatrizes, mas o que mais chamou sua atenção foi o fato de que ele só tinha um braço. E mesmo com um braço ele parecia assustador, pois esse braço estava segurando  um taco de beisebol.  Jiyuu ouviu o barulho de ossos quebrando e um grito abafado por um pano gorduroso quando o homem bateu com o taco na mão de um dos caras que estava amarrado. Os dedos do homem haviam ficado em uma posição estranha como se tivessem sido esmagadas, uma intenção assassina estava evidente ali dentro.

-Pai!!!!-  a garota gritou alegremente e se jogou nos braços do homem que segurava um taco, a intenção assassina pesada que preenchia a sala sumiu instantaneamente o homem largou o taco e abraçou a filha com um só braço a erguendo, seus olhos começaram a lacrimejar enquanto falava -Eles disseram que haviam capturado você, que iriam vender seu corpo para pagar a divida - Era interessante a forma que um homem assustador começou a chorar do nada. Mas logo o clima fico tenso novamente quando o homem viu Jiyuu -Quem é esse cara? -, Sorte de Jiyuu que o clima volto a ser leve quando a garota disse que ele era o salvador dela.

Em um determinado momento, Jiyuu falou que deveriam procurar as autoridades  o homem disse -Se eu fizesse isso, eles seriam simplesmente presos, e isso é muito pouco para quem machuca minha filha  -O pai de Mary  falou com um tom serio na voz Deixando claro que ele não estava brincando. Ele Parecia pensativo por um momento, mas assim que olhou para Jiyuu um sorriso surgiu na face dele, isso fez com que Jiyuu tivesse arrepios -Garoto vou ter que cuidar de algumas coisas, voce poderia ficar aqui e proteger minha filha? -  o que Jiyuu faria?



Mary:
Cuidado se for transar com ela,
use proteção.....
Paizinho da mary:


Considerações e Dicas:
já conheceu o sogrinho... em boa sorte :tonemai:


Histórico:
Nome do Player: Dellinger
Nº de Posts: 3

Ganhos:

Perdas:

NPCs: Mary: tem grande consideração por ele, já que ele salvo sua vida.
Pai de Mary : Gosta do garoto, mas se tocar em sua filia sem permissão ele ira destruir o mesmo.

Status: bem alimentado +1 em resistência (3/5)

Extras: Em uma barraca caindo aos pedaço em Toquio
avatar
Narrador
Mensagens :
66
Data de inscrição :
23/10/2017

dragonmbr
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: To the beginning

Mensagem por Dellinger em Qui Nov 02, 2017 9:38 pm

~ Tortura ~


  Mary era o nome dela. Ela alegava que o problema de endividamento era por ter pedido emprestado aos caras errados. Não tenho motivos para desconfiar que é outra coisa, já que a história bate com o que os caras com quem lidei antes disseram.  
   Ao insistir em segui-la, me encontro junto dela em frente a uma barraca de comida que estava totalmente precária, com uma placa indicando que estava fechada e algumas partes caindo aos pedaços. Vendo que ela iria entrar, um pouco relutante, a sigo para dentro da construção que ameaçava ceder a qualquer momento. Entrando em uma sala cujos móveis estavam todos revirados, era claro que ali havia ocorrido um embate.O que mais chamava a minha atenção era dois homens, amarrados a cadeiras e espancados de forma com que dava aflição de olhar. Um brutamontes, cheio de cicatrizes e com apenas um braço, batia com um taco de beisebol em um deles - que gritava grotescamente de dor - sendo possível ouvir os estalar de ossos quebrando.

- Pai! - A atitude da garota o assustou, que se jogou nos braços do homem. Isso acabou com toda a tensão que havia sido construída com a cena. O pai, chorava em prantos, alegando que achava que haviam tido feito o pior com sua filha, mas que agora estava tranquilo - tranquilo até demais. Ele me nota e pergunta quem eu sou: - Meu nome é Jiyuu. - Antes que pudesse falar mais alguma coisa, a garota complementa que eu era seu salvador. O homem repentinamente começa a simpatizar comigo. Falo em relação ao avisar as autoridades, ideia que o pai dela deixou claro que ia contra.
       Particularmente, detestava o tratamento que o pai dela estava dando a esses criminosos, mesmo com tudo que eles poderiam fazer com sua filha. Tudo poderia ser resolvido com a ajuda da polícia e talvez com a de um herói profissional, mas como ele quer se vingar pessoalmente, paciência. -Garoto vou ter que cuidar de algumas coisas, você poderia ficar aqui e proteger minha filha? - A proposta foi largada para mim.

        Proteger a filha de um homem prestes a fazer barbáries… Acho não tenho escolha... A filha dele está em perigo e minha consciência quer que eu ajude, mesmo eu contrariando meus princípios. - Certo, pode deixar. - responderia confiante. Eu posso pensar em uma resolução desse dilema enquanto a protejo.
        Quando o homem saísse, sugeriria à garota: - Vamos lá fora. Ficar aqui não fará bem a sanidade de nós dois. - Saindo da barraca, sentaria na calçada, vigiando aos arredores, enquanto ainda manteria meu braço intangível para emergências. Se a garota quisesse conversar sobre qualquer coisa, para passar o tempo, responderia, apenas desviando de perguntas envolvendo meu passado. Evitaria fazer perguntas, como é de costume de minha parte.
avatar
Civil
Mensagens :
15
Data de inscrição :
25/10/2017

Dellinger
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: To the beginning

Mensagem por dragonmbr em Dom Nov 05, 2017 4:08 pm




-Certo, pode deixar. - jiyuu falou para o pai de mary, o Homem com um sorriso largo no rosto deu um tapinha nas costas de Jiyuu que o fez ver estrelas. -Obrigado garoto! conto com você!- O pai da garota falaria para Jiyuu. Logo em seguida se abaixaria próximo do ouvido do Jiyuu e falaria em uma voz que faria o mesmo ter calafrios. -Se acontecer alguma coisa com minha filha eu te caçarei até a morte!-.

Após isso pai da garotinha iria desamarrar os capangas e mandar eles irem embora, não demoraria muito para que ele seguisse os capanga sem ser visto pelo mesmo. Após estarem sozinhos  Jiyuu fala para a garota- Vamos lá fora. Ficar aqui não fará bem a sanidade de nós dois. -  A garota balançou a cabeça  negativamente e começou a falar -Eu gostaria de abrir a loja você poderia me ajudar a fazer isso?-. Sem esperar muito para a garota ela já começou a limpar o sangue que seu pai havia derramado dos capangas.  O lugar estava uma bagunça, varias mesas reviradas, mas pelo visto não havia nada quebrado.

Caso  Jiyuu ajudasse a montar a arrumar as coisas, a garota iria tirar a placa de fechados e falar -Eu cozinho e você atende os clientes ok? - O que o tímido Jiyuu iria fazer? Ele não era obrigado a fazer nada. Caso ele quisesse ajudar tudo que fosse necessário para seu trabalho estaria a disposição.

Mary:
Cuidado se for transar com ela,
use proteção.....
Paizinho da mary:



Considerações e Dicas:
Faz o que quiser ai,   


Histórico:
Nome do Player: Dellinger
Nº de Posts: 4

Ganhos:

Perdas:

NPCs: Mary: tem grande consideração por ele, já que ele salvo sua vida.
Pai de Mary : Gosta do garoto, mas se tocar em sua filia sem permissão ele ira destruir o mesmo.

Status: bem alimentado +1 em resistência (4/5)

Extras: Em uma barraca caindo aos pedaço em Toquio
avatar
Narrador
Mensagens :
66
Data de inscrição :
23/10/2017

dragonmbr
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: To the beginning

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum